quarta-feira, 19 de abril de 2017

I.R.V - Parte 8 - Gibson Marauder



Já se perguntou algum dia se existem guitarras Gibson de braço parafusado ?


Gibson Marauder modificada com humbucker na posição ponte.


Sim !!! Gibson Marauder !!!


Cerca de 7.111 foram feitas entre 1975 e 1979 e um protótipo em 1974. Mais comum foi o acabamento cor natural em 4.758 marauders. Outras 1.368 marauders foram terminadas na cor vermelho-vinho, 460 foram terminadas na cor Ebony black, 240 tabacoburst e 202 marauders sem revestimento especificado nos documentos de produção. Existem outras 83 marauders mais raras ainda, no acabamento sunburst clássico da Gibson.

A Marauder veio em um momento difícil para os produtores de guitarra americanos; as vendas no início dos anos 1970 estavam baixas, e houve uma concorrência significativa dos concorrentes japoneses. Foi a tentativa da Gibson de invadir o mercado de guitarras com single-coils e braços parafusados. Mais especificamente para concorrer com as guitarras fender telecaster e stratocaster.

A guitarra, embora oficialmente introduzida em 1974, começou a ser vendida em 1975 e foi aprovada por Ace Frehley e Paul Stanley . Pequenas modificações foram feitas em 1976 e em 1978.

Sua produção foi encerrada em 1979, embora algumas ainda foram fabricadas até 1982.











Aqui outro modelo, na cor vermelho vinho














Continua em I.R.V - Parte 9 (Click para ler)













I.R.V - Parte 7 - Epiphone ET270 1970





Um pouco da história da Epiphone:


The Epiphone Company ou Epiphone é uma empresa fabricante de instrumentos musicais fundada em 1873 por Anastasios Stathopoulos. Epiphone foi comprada por Chicago Musical Instrument Company, que também era proprietária da Gibson Guitar Corporation, em 1957. Epiphone foi a maior rival da Gibson no mercado das guitarras semiacústicas. Suas guitarras profissionais incluindo a Emperor, Deluxe, Broadway e Triumph concorreram com (e algumas até superaram) algumas das guitarras da Gibson. Além de guitarras Epiphone também fabricava baixos, banjos, e outros instrumentos de cordas. De qualquer forma, a companhia se enfraqueceu em decorrência da Segunda Guerra Mundial permitindo assim que ela fosse comprada pela rival Gibson.
O nome "Epiphone" é a combinação do apelido do proprietário Epaminondas Stathpoulos "Epi" e "phone" (do Grego "phon-", "som"/"voz"), e também na alusão do significado de uma palavra "Epifania"

 A Epiphone iniciou em 1873, em Smyrna, Ottman Empire (agora Izmir, Turquia)onde o fundador grego Anastasios Stathpoulos produziu seus próprios violinos e alaúdes. Stathpoulos mudou se para os Estados Unidos em 1903 e continuou fazendo seus instrumentos originais assim como bandolins, de Long Island City no Queens, Nova York. Anastasios morreu em 1915 e seu filho, Epaminondas,continuou o trabalho do pai. Depois de dois anos a companhia era conhecida como A Casa de Stathpoulos.
Pouco após o fim da Segunda Guerra Mundial, a companhia começou a produzir banjos. A companhia produzius sua linha de Banjos patenteadas em 1924 e quatro anos depois mudaram o nome para "Epiphone Banjo Company". Eles produziram suas primeiras guitarras em 1928. Epi Stathpoulos morreu em 1943. O controle da companhia foi para seus irmãos, Orphie e Frixo. Em 1951, uma greve forçada de quatro meses ocasionou a mudança da Epiphone de Nova York para Filadélfia. A companhia foi comprada pela sua maior rival, Gibson em 1957.
Os instrumentos da Epiphone produzidos entre 1957 e 1969 eram feitos na fábrica da Gibson na rua Parsons Street 225 e na Elenor Street. Somente guitarras sólidas com tampo e fundo foram feitos na fábrica da Elenor Street (ambas Gibson e Epiphone) em Kalamazoo, Michigan. Esses instrumentos da Epiphone foram realmente iguais em relevância nas versões Gibson, feitas com as mesmas madeiras, materiais e componentes e pelas mesmas pessoas assim como suas equivalentes da Gibson. Elas compartilharam até mesmo da mesma sequência de número de série.
Alguns exemplos de instrumentos da Epiphone produzidos pela Gibson nesse período incluem a Epiphone Casino (semelhante à Gibson ES-330), a Epiphone Cortez (semelhante à Gibson B-25), a Epiphone Olympic Special (semelhante à Gibson Melody Maker), a Epiphone Sorrento (semelhante à Gibson ES-125TC,exceto por algumas mudanças estéticas), e a Epiphone Texan (semelhante à Gibson J-45, apesar de algumas mudanças no comprimento da escala). As outras produzidas em Kalamazoo têm relações técnicas ou estétcias semelhantes com as versões da Gibson.

No começo dos anos 1970, Epiphone começou a fabricar instrumentos no Japão. A partir dos anos 80, Epiphones eram fabricadas principalmente na Coreia mas também no Japão pelos contratantes licenciados pela Gibson. Um desses contratados era Samick que também construía instrumentos sob licença de outras marcas em seu nome. A marca no começo costumava a ter problemas para produzir as cópias mais caras de modelos clássicos da Gibson.
Essas guitarras eram construídas usando diferentes madeiras (geralmente Nato, por exemplo no lugar de Mogno) e eram finalizadas com uma rápida aplicação de resina de poliester ao invés da tradicional nitrocelulose que a Gibson costumava utilizar. A aplicação da nitrocelulose não impedia a ressonância do instrumento assim como ocorria com a resina de poliester. Porém a nitrocelulose levava mais tempo na aplicação, apesar de resultar num instrumento com melhor acabamento, o que tornava o procedimento em si, bastante caro. A resina era muito mais rápida e barata de ser aplicada. Essas considerações orçamentárias , junto de outras como os nuts de plástico, captadores e hardwares mais baratos, permitiam que o instrumento se tornasse mais acessível
A Samick parou de fabricar guitarras na Coreia. Em 2002 Gibson abriu uma fábrica em Qingdao, China, onde estão os fabricantes de guitarras da Epiphone. Com poucas exceções, Epiphones agora são construídas somente na fábrica de Qingdao.

Modelos exclusivos da Epiphone, incluído a Emperor, Zephyr, Riviera e Sheraton, são construídas com qualidade padrão superior às suas linhas de "réplicas da Gibson".Epiphone também produz as séries "Elitist" (produzidas no Japão) com maior qualidade. As "Masterbuilt" acústicas são fabricadas em Qingdao.
 (fonte: Wikipédia)
 
 Agora sabendo de todo o charme e história da marca, venho lhes apresentar este modelo em particular fabricado no Japão na década de 70:


























Continua em I.R.V - Parte 8 (click para ler)








segunda-feira, 3 de abril de 2017

I.R.V - Parte 6 - Violão Yamaha FG300 1969




Particularmente já conhecia a marca Yamaha desde criança vendo motos e teclados, as vezes algumas guitarras.

O que eu não sabia é que a Yamaha começou em 1887 fabricando pianos. Estabelecida no Japão por Torakusu Yamaha com o nome de Nippon Gakki Companhia Limitada ( 日本 楽 器 製造 株式会社 Nippon Gakki Seizō Kabushiki Kaisha ).

Então ja faziam instrumentos antes mesmo de começarem a produção de motos e tantos outros produtos que fazem até os dias de hoje. Pianos e orgãos, depois nos anos 20 passaram a fabricar equipamentos de áudio.

No ano de 1942 começaram a fabricar guitarras e mais tarde em 1955 começou a produção de motos, barcos etc... como acompanharemos nesta linha do tempo dos produtos da Yamaha;


1897 - Instrumentos de teclado (órgão de lingüeta, pianos em 1900)
1903 - Mobiliário 
1914 - Harmônicas  
1922 - Equipamento de áudio (manivela fonógrafo primeiro)  
1942 - Guitarras  
1955 - Yamaha Motor Company (motocicletas e veículos / embarcações, motocicleta YA-1 primeiro)
1959 - Artigos esportivos (começando com arco e flecha)  
1959 - Escolas de música  
1961 - Ligas de metais  
1965 - Instrumentos da faixa (trombeta primeiramente)  
1971 - Semicondutores  
1984 - Robôs industriais
2001 - Yamaha Entertainment Group ( gravadora )


 Bom são mais de 100 anos de história então tem muita coisa feita por eles. Mas vamos resumir por aqui a historia e falar de um instrumento em especifico:




Violão Yamaha FG 300






Ano 1966. Tampo em spruce, faixa e fundo em mogno, braço em mogno e escala em jacarandá brasleiro.

Interessante é a o cavalete com ajuste de oitavas e regulagem de altura das cordas








 Etiqueta Nippon Gakki made in Japan























 Sem duvidas... Raro e vintage !!!







Continua em I.R.V - Parte 7 (click para ler)