terça-feira, 9 de dezembro de 2014

ATO XXXIII: Nada Importa





Quebrou a cara
Silenciou o som
Fronteira morbida
De um toque
Fora do tom

Uma classe nova
A sucumbir
O desejo insano
De sumir

E assim se fez ...
E não sobrou
Apenas novas ideias

Vento austero
Assobia frio
Em meio as lapides
Do cemitério

Agora sentes
Que nada importa ...

Uma vida inteira torta.















Nenhum comentário:

Postar um comentário