sábado, 23 de março de 2013

Falando sobre guitarras : A Historia da FENDER








 O Inicio

Em 1940, o inventor do sul da Califórnia Leo Fender percebeu que poderia melhorar os instrumentos de corpo oco do dia usando um inovador, e relativamente simples, design de corpo sólido de guitarra elétrica.




Além disso, ele percebeu que poderia agilizar o processo de construção das mesmas.

1949 - Broadcaster

A Broadcaster, como foi muitas vezes chamada desde então e ainda é hoje, foi à primeira guitarra elétrica de corpo sólido e de estilo espanhol a ser comercialmente produzido em massa.

 
Fender  Broadcaster (protótipo) - 1949




1951 – 1956 – Esquire e Telecaster

Eis que surge um modelo aprimorado das Broadcaster as Fender Esquire que é o modelo que mais se parece com as Telecaster que conhecemos hoje:

Fender Esquire 1953


 Foi então entre 51-56 que a s Esquires foram novamente aprimoradas e ficaram conhecidas como Fender Telecaster ou Fender Nocaster!









Fender Telecaster 1952



Até Dezembro de 1955 a Fender já havia fabricado cerca de 370 unidas de Fender Esquire e 658 Telecaster,elas eram um sucesso de vendas, mas já em 1954 Don Randall até então presidente da Fender Sale queria mais!

Ele já estava prevendo que seus competidores inovariam e deixariam as Fender Esquire e Telecasters obsoletas e foi então que se reuniu com Leo Fender afim inovar e criar um novo modelo que tivesse mais versatilidade e um maior apelo comercial!

Visto que a competição já estava acirrada Leo não teve muito tempo para aprimorar suas idéias e teve de agilizar seu novo projeto que ele costuma chamar de "A guitarra Fender".


 A saída de mestre :


1954-1955 - Stratocaster



Eis que surge a Stratocaster com uma versatilidade até então nunca vista e com um custo beneficio muito maior que os de seus principais concorrentes, a Stratocaster trazia captadores encobertos por plástico que ajudaria o modelo a diminuir ruídos e a eliminar microfonias e Feedback,ele trazia um visual emprestado dos Baixos Precision o que tornaria as notas mais agudas do braço mais acessíveis os contornos sugeridos por seu amigo Rex Gallion a tornariam mais confortável de se segurar!

Leo viu a necessidade de se criar uma alavanca para suas guitarras, pois seus concorrentes já haviam adaptado as pontes Bibsby em suas guitarras(Leo Tambem o fez com alguma Telecasters), para não ficar ultrapassado Leo decidiu criar uma alavanca embutida para sua nova Fender coisa que seus rivais jamais seriam capazes de fazer!

Como seus rivais já haviam criado modelos com mais de um captador Leo não quis ficar para trás e sua resposta veio através de Três captadores Single Coils!

Em 54 a Fabrica já havia enviado a Fender Sales cerca de 270 Stratos com alavancas e em 55 já eram 357 modelos com tremolo e 95 sem perfazendo um total de 452.
Assim entre 54-55 a Fender já havia produzido 720 Stratocasters,mais um verdadeiro sucesso de vendas!



Fender stratocaster 1954



Fender Stratocaster 1954


A idéia principal de Leo era que os guitarristas trocassem suas Esquires e Telecasters e passassem a usar somente suas Stratocasters mais isso não aconteceu os guitarristas ainda usavam suas velhas Esquiers e Telecasters!


Em 1958, a empresa tinha 9 edifícios, 29 em 1964. Apesar de um começo tosco e atribulado, ela emergiu como um modelo para a indústria.

Fender fez violinos elétricos, steels, bandolins, e amplificadores lendários.

A guitarra Jazzmaster, introduzida em 1958, mudou poucas mentes nos círculos de jazz, mas abriu seu próprio caminho no seio de uma subcultura musical adolescente, causando furor entre bandas que imitavam Dick Dale e The Ventures.



Fender  Jazzmaster 1962


Modelos adicionais de guitarras dos anos 1960 eventualmente incluíram a Jaguar, a Mustang, Electric-XII (guitarra elétrica de 12 cordas), Bass VI, e instrumentos acústicos. Fender queria satisfazer as necessidades dos músicos e dos revendedores de música, mesmo que isto significasse fazer algumas guitarras com apelo limitado.
Esta sem duvida foi a era de ouro da Fender!


Fender Jaguar 1962




Fender Musicmaster 1962



Fender  Bass VI 1963





Fender Duo Sonic 1965


Fender Duo Sonic II  1965


Fender Eletric XII 1966



Fender Coronado II 1967


Fender Mustang 1969




Fender Telecaster Thinline 1969


A Crise

A Fender foi, de longe, a mais importante formadora de tendências no início dos anos 1960; entretanto, Leo preocupava-se com a possibilidade de a tecnologia do transistor tirá-lo do negócio.

Ele também sofria de uma persistente infecção que minava suas energias.

Por volta do começo dos anos 1960, o inventor decidiu vender a empresa.

Randall e Fender que haviam se tornado os únicos sócios em 1955 fizeram um acordo com a CBS por $13 milhões, efetivo em 5 de janeiro de 1965.

Essa fase da fábrica duraria exatos 20 anos.

E com a compra vieram modificações!

  Na década de 1970 e 1980, alguns guitarristas começaram a modificar suas Stratocasters com humbuckers , especialmente na posição da ponte, para criar o que ficou conhecido como Strat Fat .


Fender Showmaster Share

Foi então que a Fender modificou suas guitarras de divisas maneiras e uma das mudanças mais radicais foi modificar o Headstock de suas stratocasters e hoje é tão famoso "Headstock 70"




Fender Stratocaster 1970



Fender Telecaster Thinline 1972



E nessa época houve alguns modelos Custom:


Fender Telecaster Custom 1975



E a Fender nessa época também produziu algumas "guitarras exóticas" como as:



Fender Performer



 
Fender Bronco



Fender Katana




Fender Swinger




 Dentre outras mais..





Mas a CBS exigiu corte dos custos de produção e a saída foi essa strato , com uma ponte estranha, o "Freeflyte" tremolo:



Fender Stratocaster CBS Freeflyte





Fender Stratocaster CBS Freeflyte (aberta)


Como se não bastasse, alguém da CBS veio com a brilhante idéia de "modernizar" as cores. Que tal essa strato made in USA 1983, com ponte freeflyte e pintura estilo mármore:




Fender Stratocaster USA 1983 Freeflyte CBS


Enquanto isso no Japão:

Os japoneses (Tokai, Greco, etc.) evoluem em suas cópias e no início dos anos 80 o dólar valoriza-se demais. Prejuízo das americanas e queda da exportação.

Em 81 a CBS contrata Bill Shultz e Dan Smith para administrarem a Fender, ambos ex-funcionários da Yamaha.

A solução frente à competição japonesa e ao câmbio desfavorável foi criar a "Fender Japan" (março de 1982) com os 2 maiores distribuidores de lá (Yamano e Kanda Shokai).

A empresa recém criada contratou a Fuji Gen-Gakki (IBANEZ) para fabricar as Fender. Com o dólar alto, a exportação era inviável - a idéia então era usar o Japão como exportador (exceto para os EUA - volto a esse detalhe depois).

Nesse meio tempo, a Fender iniciou um processo de "volta às origens", para melhorar a qualidade de suas guitarras.

Chegaram ao absurdo de comprar guitarras e baixos Fender vintage para reaprender o processo (gastaram US$ 5.600 para comprar um Precision Bass 1957, um Jazz Bass 1960 e uma Stratocaster 1961).

Quando chegaram aos EUA as primeiras guitarras Fender japonesas (as strato eram baseadas nas 57), segundo palavras do próprio Dan Smith, o pessoal da Fender quase chorou.

A qualidade era excepcional. Tudo o que eles estavam tentando fazer estava ali na frente deles e vinha do Japão!





Fender Stratocaster  Made In Japan dos anos 80.

Fender Stratocaster  Made In Japan dos anos 80.



Fender Stratocaster  Made In Japan dos anos 80.





Então, a situação era essa: Fender USA continuava produzindo para os EUA e a Fender Japan para o resto do mundo (todas feitas pela mesma fábrica da Ibanez e com o "Made In Japan"). Mas mesmo nos EUA, o custo era alto e a CBS exigiu cortes, gerando guitarras muito ruins nesse período.

As piores Fender USA ja feitas são dessa época, 1983.

A CBS resolveu competir com os japoneses que estavam entrando com força nos EUA e passou a vender as Fender japonesas lá também, mas com a marca "Fender Squier" e headstock estilo anos 70, para não haver competição entre eles mesmos.

(Observe que, essas primeiras Squiers vendidas exclusivamente nos EUA e com headstock estilo anos 70 ainda eram guitarras muito boas - e geralmente o selo "Squier" era pequeno e o "Fender" grande - , diferente das Squier que em seguida passaram a ser exportadas para o resto do mundo)

Em novembro de 1984 (em 1986 a Norlin também vendeu a Gibson), um grupo de investidores liderados por Bill Schultz comprou a Fender da CBS. Na verdade, comprou a marca "Fender", já que a fábrica não estava incluída.

Sem fábrica nos EUA, a Fender passou a depender inteiramente da produção japonesa.

Entre o final de 1984 até meados de 1986, 80% das Fender vendidas nos EUA vinham do japão.

Convém observar que, a partir de 1984, com a necessidade do aumento da produção japonesa para suprir o mercado dos EUA e resto do mundo, houve uma certa queda da qualidade e grande parte das guitarras japonesas para "exportação" tinha corpo de basswood  e acabamento em poliuretano. ATENÇÃO: "Nenhuma Fender foi produzida nos EUA entre janeiro e outubro de 1985".

Quando a Fender voltou a produzir normalmente e isso foi muito gradual o interesse na produção de alta qualidade do Japão diminuiu e, ao mudar de fornecedor, por força de contrato, as novas guitarras não poderiam mais usar o "Made in Japan", apenas o "Crafted in japan" partir de 1996/97.




Fender gravado "Made in Japan"  anterior a 1996



Fender posterior a 1996  ja com o "Crafted in Japan" gravado


A Fender Japan produz atualmente guitarras de alto padrão mas apenas para o mercado interno. Eventualmente, uma ou outra série especial é exportada. A Telecaster da Fender Japan TLR-RK (modelo Richie Kotzen) só é feita lá, por exemplo.

Fender Telecaster Japan TLR-RK 



A  Fender  Mexicana :


Existe muita reportagem, e textos (inclusive no próprio site da Fender) falando sobre a fábrica de Fullerton e de Corona. Citando a quantidade de funcionários em vários períodos. Mas não existe um texto específico da fábrica do México no site da Fender.
Não existem dados que especifiquem de forma clara  a data exata de inauguração e numero de funcionarios dessa fábrica.

Existem fontes que indicam que essa fabrica foi inaugurada em 1987 e, portanto, no mesmo ano da fábrica Fender em Corona, pois em jul/2012 ocorreu uma festa de 25 anos (bodas de prata) da fábrica mexicana.  Mas existem rumores em fóruns de guitarristas dos EUA dizendo que foi em mar/1985 que essa fábrica teria sido inaugurada.

 Outra forma de dedução da época de inauguração dessa fábrica seria pelo número de série de instrumentos “Made in México” (MIM). Mas ai a coisa fica mais complicada ainda, pois os primeiros instrumentos Fender MIM segundo o número de série, foram fabricados apenas em 1990.

A fábrica está localizada na cidade de Ensenada, no estado de Baixa Califórnia, no extremo noroeste do México.

Fica a 241 Km da fábrica americana. Cerca de 3 horas de carro. E uma rodovia liga as 2 fábricas (conta a lenda que a rodovia chamada Highway One, dá nome a uma série de guitarras e baixos “made in USA”, de custo mais baixo, pois apesar de ter o “made in USA” os instrumentos acabam transitando por essa rodovia em suas fases de fabricação).

Um fato marcante é que houve um incêndio em 1994 e após esse incêndio a diretoria da época (Willian Shulz) resolver investir mais na fábrica mexicana e torná-la mais influente no plano de produção da Fender.

Toda a matéria prima de todos os instrumentos é comprado pela sede administrativa da Fender (que fica em Scottdale, no estado do Arizona, USA) e entregue na Fábrica de Corona CA, e sofrem um processo de seleção, onde as madeiras  mais "TOP" e com menor numero de emendas fica  em corona, outra  parte  é  enviada  para  fabrica mexicana  em Ensenada. Tarraxas e pontes são feitos no México. Mas alguns modelos mexicanos usam tarraxas e pontes feitos nos EUA. Os pick-ups também são feitos nas 2 fábricas.

 Também existe uma linha de montagem dos chassis dos amplificadores valvulados e dos gabinetes no México.

O treinamento da mão de obra é feito na fábrica de Corona, para ambas as fábricas.
Mas os modelos Custom Shop são feitos somente em Corona ,CA, com peças americanas.



O “MIM” (Made in Mexico), como é chamada a fábrica da Fender® sediada no México comemorou seu jubileu de prata!
Uma festa de celebração muito especial aconteceu no último dia 20 de Julho de 2012, marcando o 25º ano em que a Fender® iniciou suas atividades em sua sede Mexicana.
Sergio Villanueva, vice-presidente senior global industrial da Fender® Musical Instruments Corporation disse: “Nós estamos muito orgulhosos em ter alcançado esse marco tão significativo. O nível de qualidade produzido nesta fábrica atestam o seu sucesso!”
De acordo com a Fender®, mais de 1000 convidados estiveram na celebração. Entre parceiros e empresários locais, executivos da companhia e funcionários da fábrica, todos celebraram o 25º aniversário da inauguração da sede. Este dia especial foi saudado por uma espetacular apresentação com fogos de artifício, enquanto funcionários e convidados foram brindados com música Mariachi ao vivo com performances da Escuelita Fender, Grupo Fandango e a popular banda Norteño Intocable.
Os instrumentos da “MIM” se tornaram populares devido a sua acessibilidade, que possibilita aos músicos de orçamentos mais apertados, acesso aos intrumentos com a marca Fender® a um preço razoável. Alguns puristas contestam a qualidade da Fender® “MIM” em relação aos seus primos “Made in USA”, mas muitos músicos tem apreciado o valor e a qualidade dos instrumentos provenientes da fábrica de Ensenada e atestado a veracidade do termo “Custo-Benefício”. A longevidade da fábrica em si é a prova de que as pessoas estão gostando e comprovando os seus produtos. (fonte  extraida de : pridemusic.com.br)



Abaixo, um vídeo mostrando um pouco mais como é a Fábrica da Fender de Ensenada em uma mini-tour:





Alguns modelos Fender  Made in México :


Fender Stratocaster MIM





Fender Stratocaster HSS MIM





Fender Telecaster Reissue 50s MIM






Fender Stratocaster  Blacktop HH MIM






Fender Jazzmaster  Blacktop MIM





Fender Musical Instruments e Fender Custom Shop



Como já sabemos por 20 anos a Fender Ficou nas mãos da CBS que quase levou a marca à falência!

Nos anos 80 muitos guitarristas sentiram falta das Fender originais das décadas de 50-60 que já eram escassas no mercado naquela época, foi então que a CBS por falta de dinheiro em caixa resolveu vender direitos autorais da marca para alguns investidores liberais que trabalharam e alguns que ainda trabalhavam na Fender CBS e um dele era o famoso Bill Schultz é muitas das vezes chamado de "O homem que salvou a Fender"!

Foi então que nasceu a Fender Musical Instruments e foi em 1987 que Bill criou a também tão bem sucedida Fender Custom Shop,Bill contava com uma ótima equipe de Luthiers bem qualificados e a idéia principal deles era resgatar as velhas origens da Fender recriando modelos clássicos das décadas de 50 e 60 criados por Leo,assim eles criaram varias reedições e as batizando de Vinge Guitars!

Equipe de Luthiers Fender Custom Shop:

John Page (founder and actual CEO of John Page Guitars)
Michael Stevens (founder and actual owner of Stevens Guitars)
Mark Kendrick
John English (1950-2007)
George Blanda (Electric Guitar R&D chief project engineer)
John Suhr (founder and actual owner of JS Technologies Inc., who built with Rudy Pensa the Pensa-Suhr MK signature models for Mark Knopfler in 1987)
Jay W. Black
ohn Grunder (Sales, Marketing & Artist Relations)
Larry L. Brooks (co-designed with Kurt Cobain and built the Jag-Stang guitar for Kurt Cobain / Founder and actual owner of Brooks Guitars, 1981-present)).
Steve Boulanger
Duane Boulanger
Art Esparza
Mike Eldred (Sales & Marketing Director)
Yasuhiko Iwanade (actual president of Gibson Japan)
Ronee Pena
Scott Buehl
Kenny Gin
Dave Nichols
Mike Bump
Alex Perez
Gene Baker (founder of Baker Guitars, responsible for the superstrat-style Showmaster series guitars, manufactured between 1998 and 2009)
Fred Stuart
Alan Hamel
Jay Madore
Mike Ponce
Greg Fessler
Ralph Esposito
Jason Davis
Yuriy Shishkov
John Cruz
Stephen Stern
Richard Siarto
Louis Salgado
George Amicay
Dru WhiteFeather
Todd Krause
Dennis Galuszka
Chris W. Fleming
Jason Smith (son of Dan Smith, one of the employees who bought the Fender companies from CBS in 1985)
Scott Grant (Production Supervisor)
Paul Waller
Dale Wilson

Mas a nova Custom Shop ganhou tanto destaque que alguns Luthiers passaram a criar novas guitarras personalizadas para diferentes públicos, pois a qualidade que elas apresentavam era extremamente excepcional e assim guitarristas famosos passaram encomendar guitarras personalizadas que levassem tanto a assinatura dos Luthiers como as deles!



Algumas Guitarras Fender Custom Shop :








































Um video Fender Custom Shop ( mais recente, de 2013)  : http://youtu.be/C5-V8vDFO-c 



                  Video  antigo : Fender Factory Fullerton California Tour de 1959  !!!




E este um pouco mais recente, uma mini-tour pela fabrica Fender Corona, CA : 




Video em Português:


Aqui algumas "Logos"  antigas  da fender   das décadas de 50,60 e 70 :











 Alguns  estilos de "headstock"  Fender Stratocaster :











Vários guitarristas utilizam/utilizaram guitarras Fenders,Como: 

David Gilmour
Eric Clapton
 Jeff Beck
Jim Root
 Mark Knopfler
 Ritchie Blackmore
 Richie Sambora
 Dave Murray
 Jimi Hendrix
 Muddy Waters
Buddy Guy
Yngwie Malmsteen
Thurston Moore
Eric Johnson
Stevie Ray Vaughan
Kurt Cobain

E varios outros. Agora  veja  alguns modelos de guitarras  utilizadas  por  estes artistas :




Fender Stratocaster David Gilmour



Fender Stratocaster Eric Clapton




Fender Stratocaster Jeff  Back



Fender Telecaster Jim Root



Fender Stratocaster  Mark Knopfler




Fender Stratocaster Ritchie Blackmore



Fender Stratocaster Richie Sambora



Fender Stratocaster  Dave Murray



Fender Stratocaster Jimmy Hendrix


Fender Telecaster Muddy Waters




Fender Stratocaster Buddy Guy




Fender Stratocaster Yngwie Malmsteen



Fender Jazzmaster Thurston Moore




Fender Stratocaster Eric Johnson



Fender Stratocaster Stevie Ray Vaughan


Fender Jaguar Kurt Cobain







Como se pode reparar, alguns modelos foram customizados para  atender as necessidades de cada artista, bem como as series signature, que levam a assinatura do musico no instrumento, que ja sai de fabrica com as mesmas  caracteristicas do intrumento em particular de cada artista. (como exemplo, esta Fender jaguar signature Kurt Cobain). Outro modelo "Custom" signature de Kurt Cobain é uma Guitarra meio "exotica" , que seria um hibrido entre a Fender Jaguar e a Fender Mustang, que receberia o nome de  Fender "Jag Stang" :

A Fender Jag-Stang é uma guitarra elétrica projetada por Kurt Cobain, da banda Nirvana, pretendida como uma mistura de duas guitarras elétricas da Fender: a Jaguar e a Mustang. Cobain propôs sua idéia do instrumento para a Fender, resultando em dois protótipos para canhotos construídos pelo então construtor chefe da Custom Shop, Larry L. Brooks, das quais uma foi tocada pelo próprio Cobain.

Foi dito que o instrumento precisou de muitos ajustes antes que Cobain estivesse satisfeito, e que foi enviado de volta para a Fender para reparos antes que Cobain antes de ele levá-la consigo no tour pela Europa do álbum In Utero em 1994, do qual a guitarra mal foi tocada ao vivo. Muitos acreditam que Cobain estava no fim das contas insatisfeito com o resultado e por isso nunca completou as revisões do seu instrumento antes da sua morte em 1994.

O protótipo Jag-Stang teve um captador especial da Fender Texas no braço e um DiMarzio H-3 na ponte. (O humbucker H-3 não está disponível como um produto individual, mas o mais próximo sonoramente é o captador DiMarzio DP158). A produção da Jag-Stang incluiu um captador single coil de "estilo vintage" e um humbucker de "estilo especial", cada um com o seu próprio interruptor, o qual o músico pode mudar entre "ligado", "desligado" e "fora-de-estágio". Ela emprega a ponte "Dynamic Vibrato" da Mustang, e como ambas de suas antecessoras, ela tem um braço curto de 24" (uma réplica exata do braço favorito de Cobain, de uma Fender Mustang). Já houve críticas sobre a qualidade dos captadores e da total falta de perfeição da Jag-Stang, mas muitos donos provam que isso faz da guitarra unica e de um jeito e resumem a mentalidade grunge do seu inventor. Além disso, muitos têm subsequentemente modificado a guitarra de modo que se percebam resultados impressionantes.

Originalmente produzida no outono de 1995, após a morte de Kurt Cobain, a Fender do Japão reeditou a Jag-Stang dois anos após o cancelamento de 2001 devido à uma demanda popular. A Fender novamente descontinuou a importação da Jag-Stang do Japão a partir de Maio de 2006. A Jag-Stang de cor azul sônica de Kurt Cobain foi dada ao integrante da banda R.E.M Peter Buck, por Courtney Love após a morte de Cobain. Ele pode ser visto tocando-a (modificada para destro) no clipe musical "What's the Frequency, Kenneth?". Mike Mills, também do R.E.M., toca a mesma guitarra durante a música "Let Me In", a qual é um tributo à Kurt Cobain. Um exemplo disso pode ser visto no DVD deles, "Road Movie".








Fender Jag- Stang (signature Kurt Cobain)









Bom pessoal, isto é um pouco da história das guitarras Fender. Os textos  foram retirados de fóruns e sites  em geral, agradeço as fontes da internet, e que continuem postando mais coisas  sobre a interessantissima história dessa marca que é tão famosa mundialmente mesmo entre os "eternos" guitarristas que conheçemos um dia, que usam ou usaram uma stratoFender (afinal, quem nunca tocou  em alguma stratocaster ao longo da vida ???  rsrs) Ahh.. talvez  quem nunca tenha tocado guitarra na vida.

 Pois  bem , se você  nunca tocou guitarra, mas tem acompanhado o blog e tem curtido os posts sobre musica e guitarra, um conselho meu é : 
 "Pegue uma guitarra ( a qualquer custo!!!) e começe a tocar \o/ \o/ \o/  hehehe"


Para fechar esse post , eu deixo essa bela foto, com varias Stratocasters Fender :