terça-feira, 15 de novembro de 2011

ATO XI : Versos sem Luz





Versos sem luz
Não quero otimismo
Mais quanta bobagem
Coisa chata que rodeia um mesmo assunto
É a mosca na boca do moribundo
Aquele zumbido no ouvido
É uma lesão
Estão todos dizendo
" Tenho medo de você"
Idiotas... eu  estou só sendo eu
Não quero otimismo
Não por  isto ...
Tenho mais medo da ignorância do que da morte
Os versos sem luz me ensinam a caminhar no escuro
Tateando eu consigo sentir melhor
Mesmo sem enxergar
Não quero ver o óbvio que todos vêem
Muitas vezes é o verso sem luz que ilumina a sua mente.






Nenhum comentário:

Postar um comentário