terça-feira, 15 de novembro de 2011

ATO X : Meu Amigo Mendigo




"Meu amigo mendigo
Um ser excluido da sociedade
Uma vez por acaso ou talvez por opção
Pelas linhas torduosas que seguimos até o caixão.

Na esquina movimentada, com a roupa em trapos...
Discutindo o valor da arte comigo 

Sua alma parecia não agüentar mais o corpo escorado em um cabo de vassoura.
Na mão talvez seu unico amigo, um filhote de cão vira- lata que trazia consigo

Meu amigo o mendigo....
Do seu lado um cão preto
 Parecia o Diabo
Cão feio de olhos avermelhados

Parecia estar a serviço
Talvez a cuidar de seu unico amigo
 O pobre  e excluido mendigo

Que de fato é melhor que muito engravatado
No limite do certo ou errado
A sociedade dita as regras
Por  aquilo que você tem
Você pode ser melhor do que eu

Mas ninguém é melhor que ninguém.

Rico é aquele que sabe o que é arte;
Foda -se  os preconceitos e a sociedade.
O resto é a loucura

E a loucura é a realidade "    







Nenhum comentário:

Postar um comentário