terça-feira, 15 de novembro de 2011

ATO XVI : Eu Mesmo e Eu

Sentado no bosque

Isolado em meio ao mato

Com meu violão.

Em notas que eu mesmo faço

Que me levam para o espaço

Isolado da multidão.

Um lugar calmo e tranquilo

Para que eu possa viajar

Por dentro da minha própria mente

Não existe outro lugar.

Pois pouco a me preocupar

Os transeuntes a passar

Se for para reparar

Prefiro ouvir passaros cantar.

E  achar inspiração

Sentado ali com o violão

Curtindo o que acho legal

Minha viajem espacial.

Curtindo a coisa mais pura

Longe de toda a loucura

Nada mais me tira a atenção.

 

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário